Imprensa

 

Releases

Falha mecânica é uma das principais causas de acidentes nas rodovias brasileiras

09 mar, 2012

Apesar dos esforços da Polícia Rodoviária Federal, dos investimentos em operações e aquisição de equipamentos, de primeiro de janeiro a 25 de junho foram registrados aumentos de 10,56% no número de acidentes, em relação ao mesmo período de 2006 (51.254 em 2006, 56.671 em 2007), de 8,17% no índice de mortos (2.876 em 2006, 3.111 em 2007) e de 11,21% no total de feridos (30.892 em 2006, 34.355 em 2007).

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, as oito principais causas de acidentes declaradas pelos motoristas - pela ordem são: falta de atenção, excesso de velocidade, desobediência à sinalização, falha mecânica, não manter distância segura, ultrapassagem indevida, defeito na via e sono, prudência ainda é a melhor prevenção contra os acidentes.

A falha mecânica ocupa a quarta posição das principais causas de acidentes declaradas pelos motoristas. Em 2006, a Polícia Rodoviária Federal atuou 17.914 veículos por circularem sem as mínimas condições em rodovias brasileiras, conforme dados do Denatran – Departamento Nacional de Trânsito.      

Nas principais rodovias do Estado de São Paulo, são registrados, em média, 784 atendimentos diários por veículos que apresentam problemas de panes elétricas e falhas mecânicas, totalizando mais de 23 mil ocorrências/mês de guincho e atendimento mecânico, segundo informações da Artesp - Agência de Transporte do Estado de São Paulo, órgão responsável por gerenciar e fiscalizar as concessões rodoviárias no Estado de São Paulo em 3,5 mil quilômetros de rodovias, como Sistema Anhangüera-Bandeirantes, Anchieta–Imigrantes, Castello Branco e Raposo Tavares, entre outras estradas. 

O Serviço de Ajuda ao Usuário dessas rodovias revela também que 197 veículos são atendidos diariamente por causa de pneu furado.

Manter a revisão do veículo em dia é uma das recomendações da Polícia Rodoviária Federal, mesmo quando as distâncias percorridas são pequenas. Faróis regulados para ver e ser visto (lâmpadas reserva); pneus calibrados e em bom estado; e motor revisado, com óleo e nível da água do radiador em dia.

A Artesp também aconselha os motoristas a verificarem os freios, amortecedores, luzes, óleo, pneus, documentos e equipamentos obrigatórios. O veículo deve estar em perfeito estado, a fim de garantir uma viagem tranqüila.

Na semana de comemoração do “Dia do Motorista” (25/7) e o “Dia do Motociclista”, o *GMA - Grupo de Manutenção Automotiva, pretende conscientizar o motorista sobre a importância de realizar uma revisão no veículo em um estabelecimento de sua confiança para checar os seguintes itens:

Sistema de segurança: troca de luzes de lâmpadas queimadas das lanternas dianteiras, traseiras, de freio e ré. Trocar as palhetas do pará-brisa para garantir a visibilidade, mesmo se chover forte. Com o tempo, a borracha da palheta resseca e pode riscar o vidro do pára-brisa. O reservatório do limpador deve estar abastecido com água.

Sistema de freio: é recomendado trocar o fluido de freio uma vez por ano porque essa substância passa por uma reação química absorvendo a umidade do ar, e o motorista não percebe que o líquido está misturado com água e por isso, não tem a mesma eficácia, comprometendo o funcionamento do sistema de freios. As pastilhas de freio precisam ser trocadas conforme a quilometragem estipulada no manual, do contrário, o disco pode ser danificado.

Extintor de incêndio: checar a validade do extintor de incêndio, e se estiver vencida, faça a substituição.

Pneus: verificar a calibragem dos pneus e fazer a regulagem, conforme recomendação do manual do proprietário do veículo. Os pneus e o estepe devem estar em boas condições de uso. O rodízio de pneus, uma medida de economia importante, deve ser feito a cada 10.000 km rodados, garantindo vida útil maior. Ao fazer o rodízio é importante balancear e alinhar as rodas para evitar o desgaste prematuro dos pneus que também pode aumentar o consumo de combustível. Além disso, o alinhamento e o balanceamento das rodas garantem a dirigibilidade e segurança do automóvel. Quando essa manutenção é feita, toda a parte de suspensão do veículo também é inspecionada, podendo ser diagnosticado, em tempo, problemas na suspensão e amortecedores.

 Óleo do motor: verificar o nível do óleo do motor e a quilometragem do veículo para saber se está na hora de trocar o produto que deve ser compatível com as especificações descritas no manual do veículo. O período de substituição do produto deve ser respeitado. Também é necessário checar se há vazamento de óleo.

Filtro de combustível: deve ser substituído de acordo com o manual do carro. Se a troca não for realizada no período determinado, a bomba do combustível pode ser danificada.

Filtro de ar: a cada troca de óleo, o filtro de ar deve ser checado para avaliar as suas condições de uso. Se a peça estiver escura e suja, a substituição deve ser realizada para que o veículo mantenha bom desempenho e o controle do nível de emissão de poluentes.

Correia dentada: deve ser trocada em intervalo determinado pelo manual do automóvel. Se a substituição não for realizada de acordo com especificações do manual, pode ocasionar a quebra e travar o motor e, conseqüentemente, a junta do cabeçote e até outros componentes do motor terão de ser reparados.

Velas de ignição e injeção eletrônica: esses componentes podem influenciar no desempenho do veículo e ocasionar perda de potência e falhas. A troca das velas e a limpeza dos bicos injetores garantem bom desempenho do veículo.




Add Pingback