Imprensa

 

Releases

Distribuição e varejo de autopeças investem em tecnologia e logística para atender à demanda em todo o País

09 mar, 2012

O Brasil possui 264 empresas distribuidoras de autopeças e 33 mil lojas de varejo, garantindo a cobertura de todo o território nacional.

A distribuição e o varejo de autopeças são responsáveis pela geração de 218.300 postos de trabalho para atender o setor da reparação de veículos formado por 94.759 oficinas mecânicas em todo o País.

Com logística e capilaridade, distribuidores e varejistas de autopeças estão presentes em todos os municípios do País para abastecer os mercados locais que têm necessidades diferentes de acordo com a frota circulante.

Com dimensões continentais abrangentes e transporte predominante rodoviário, o Brasil possui características distintas e complexas, de acordo com cada região.

A frota nacional de veículos estimada em 26 milhões de unidades (dados do Estudo da Frota do Sindipeças) tem idade média de 9,1 anos, porém há muita diversidade em sua composição, principalmente nas duas pontas (veículos novos e usados com mais de 20 anos de uso).

Os distribuidores e varejistas precisam estar em sintonia para compreender as diferenças de várias regiões e as oscilações do mercado. Há regiões em que a frota tem modelos com mais idade, principalmente no interior dos estados e maior concentração de veículos novos e seminovos em centros urbanos e nas capitais.

Para atender à demanda, de forma rápida e ágil, o setor da reposição automotiva conta com canais de distribuição espalhados por todo o País, permitindo que determinada peça esteja no balcão da loja em até 48horas em lugares mais distantes dos grandes centros urbanos.

A distribuição e o varejo têm investido fortemente em tecnologia para apurar a necessidade de cada mercado, acompanhando a evolução tecnológica da indústria.

Além disso, os distribuidores mantêm parceria com os varejistas para abastecê-los de acordo com a demanda. Também investem em treinamento e capacitação profissional de vendedores da ponta para garantir a satisfação do consumidor. “Atendimento de qualidade é o grande diferencial, o vendedor precisa ser um consultor em que o cliente confia”, afirma o presidente da ANDAP, Associação Nacional dos Distribuidores de Autopeças, Frederico dos Ramos.

Entender as diferentes nuances do mercado e atender às necessidades locais são tarefas do setor da reposição automotiva para evitar gargalos no abastecimento. “O mercado está muito dinâmico, são lançados novos modelos a cada momento e o setor da reposição precisa acompanhar tudo isso no mesmo ritmo”, revela.

O aquecimento das vendas de veículos novos tem reflexos positivos em toda a cadeia produtiva da reposição automotiva formada por fabricantes, distribuidores, varejistas e oficinas independentes. Em 2007, o setor da reposição automotiva cresceu 12%.  Para este ano, a previsão é de que o resultado seja semelhante ao alcançado no ano passado.




Add Pingback