Imprensa

 

Releases

Dados apontam que o estado de conservação do veículo pode comprometer a segurança no trânsito

09 mar, 2012

Veículos revisados e em bom estado garantem segurança no trânsito, poluem menos e melhoram as condições de tráfego nas grandes cidades como São Paulo e também nas rodovias. Pesquisa da GIPA, órgão internacional que realiza estudos de mercado no pós-venda em vários países, revela que o motorista brasileiro não tem o hábito de levar o carro para revisões após o período de garantia do fabricante. “Enquanto o norte-americano gasta em média US$ 1.000,00 por ano em manutenção do veículo, o brasileiro tem um custo de R$ 900,00 no mesmo período, esse valor leva em conta a despesa com a troca de óleo”, afirma o coordenador do GMA – Grupo de Manutenção Automotiva, Antônio Carlos Bento, que atribui a falta de informação como um dos fatores principais para que o motorista não tenha o hábito de fazer a manutenção preventiva do seu veículo. “Economicamente sai bem mais em conta reparar o problema antes que o mesmo comprometa o funcionamento de outros componentes. O carro é um sistema integrado de peças, todas são importantes para a segurança do condutor e de passageiros, a falha em um item considerado simples, como uma lanterna traseira queimada, pode causar acidentes”, explica Bento.

A análise do relatório de resultados das Inspeções Veiculares Gratuitas realizadas mensalmente pelo Programa Agenda do Carro em vários pontos da capital paulista, comprova os dados da pesquisa da GIPA que aponta o comportamento do motorista em relação aos cuidados com o veículo. Os 2.111 veículos checados durante as nove inspeções apresentaram falhas de funcionamento em pelo menos em um dos 27 itens que fazem parte do check-up automotivo. “A amostra, ainda que pequena em comparação ao número de veículos que circula em São Paulo que concentra 25% da frota nacional estimada em 25 milhões de unidades e que tem idade média de nove anos, revela dados preocupantes em relação ao estado de conservação dos veículos, fator que pode colocar em risco a vida dos motoristas, ocupantes e de outras pessoas”, alerta Bento.
 
Os sistemas e componentes que apresentaram maior índice de falhas são:

  1. Correias auxiliares - 51,30%
  2. Sistema de arrefecimento – 44,40%
  3. Correia dentada – 43,20%
  4. Limpador e lavador de pára-brisa - 41,60%
  5. Vazamento de óleo do motor – 35,10%
  6. Lâmpadas de faróis principais – 31,20%
  7. Emissões de gases poluentes – 23,10%
  8. Embreagem e sistema de acionamento – 20,50%

Na cidade de São Paulo, por exemplo, onde o trânsito é caótico, os veículos quebrados em avenidas e em corredores de grande circulação de tráfego, além provocarem congestionamentos, também podem causar acidentes. Segundo a CET – Companhia de Engenharia de Tráfego - são removidos diariamente das ruas 407 veículos nos dias úteis e 113 nos fins de semana, totalizando 9.176 veículos por mês. E os principais problemas apresentados são: falhas mecânicas (4.870); panes elétricas (1.811); pneu furado (546) e falta de combustível (106). 

Além das imprudências do motorista, como dirigir alcoolizado e excesso de velocidade, o estado do veículo também pode ser uns dos fatores que causa acidentes no trânsito. Pesquisa realizada pela consultoria Scaringella Trânsito aponta que o fator veículo influenciou 27,1% nos 3.567 acidentes analisados.

O estudo detectou as seguintes falhas nos componentes e sistemas:

Veículos leves

Veículos pesados

86 % - Suspensão

86 % - Suspensão

72 % - Freios

97 % - Freios

48 % - Lanternas

77 % - Lanternas

39 % - Direção

93 % - Direção

38 % - Faróis

40 % - Faróis

23 % - Rodas

25 % - Rodas

22 % - 4 pneus

17 % - Pneus

Meio Ambiente

A manutenção consciente do veículo pode contribuir também para a redução de emissões de poluentes que fazem mal à saúde. Em São Paulo, 99% dos gases tóxicos são provenientes de veículos. Testes da Cetesb realizados durante o programa “Operação Inverno 2007” em caminhões comprovam que a substituição do filtro de ar, quando a peça está danificada, pode diminuir em 40% a emissão de poluentes dos veículos.

O GMA destaca dez motivos para o motorista cuidar bem do seu carro:

  • Segurança no trânsito;
  • Economia de combustível;
  • Melhor desempenho;
  • Preservação do Meio Ambiente;
  • Evita multas;
  • Garante bom estado de conservação;
  • Valorização do preço na hora da revenda;
  • Evita falhas mecânicas e panes elétricas inesperadas;
  • Permite programação das despesas com o veículo;
  • Responsabilidade Social.



Deixe um comentário

Deixe uma resposta



(Seu email não será exibido publicamente.)


Captcha Code

Click the image to see another captcha.