Imprensa

 

Artigos

Seguir as orientações do fabricante é três vezes mais em conta

08 mar, 2012

Cuidar do veículo de forma preventiva, seguindo as orientações do manual do fabricante é, no mínimo, três vezes mais em conta do que levar o carro ao mecânico só quando ele quebra. Isso acontece porque o veículo é composto por vários sistemas de componentes que funcionam de forma integrada. Quando uma peça apresenta algum problema e precisa ser substituída, se a troca não for feita, pode comprometer outros itens e aí a conta fica alta. Por exemplo, se as pastilhas não forem substituídas no período determinado pode afetar o funcionamento do disco de freio que também precisará ser trocado.

Além de mais barata, a manutenção preventiva garante que o veículo esteja em boas condições de uso, garantindo a valorização de seu preço na hora da revenda. Por isso, visitas regulares à oficina de confiança evita surpresas desagradáveis, como ficar parado em plena marginal Tietê no horário de pico.

Quando a manutenção é corretiva, além de imprevista e ser mais onerosa do que a preventiva, o tempo de reparo também é maior, deixando o motorista sem o seu carro por mais tempo, o que gera mais prejuízo para o seu bolso. Para exemplificar, a troca da correia dentada de um Fiat Palio 1.0, ano 1998, custa, em média, R$ 280,00, incluindo peça e mão-de-obra e demora três horas. Já a quebra da correia dentada por falta de substituição no período determinado pelo manual do fabricante fica muito mais cara porque é necessário fazer a retífica do cabeçote do motor e a troca de válvulas. O custo fica em R$ 1.400,00, cinco vezes mais alto e o tempo do reparo é de três dias. Nesse caso, o prejuízo é muito grande para o motorista.

Por isso, sempre alertamos, nessa coluna, a importância de cuidar do veículo de forma consciente, procurando seguir as instruções contidas no manual do fabricante, além de levar o veículo em uma oficina de confiança regularmente e conversar com o mecânico para que ele possa fazer todas as revisões necessárias e acompanhar o desempenho do veículo ao longo de sua vida útil. É como se o mecânico fosse o antigo médico de família que acompanhava a criança do nascimento até a vida adulta, sabendo de toda as doenças e possíveis pré-disposições genéticas. Desta forma, é possível prevenir alguns problemas. É dessa forma que o veículo deve ser cuidado, com check-ups preventivos que facilitam a programação de gastos.

Quando veículo está em boas condições de uso, apresenta melhor desempenho e mantém o mesmo consumo de combustível de quando era zero quilômetro. Aliás, quando há aumento de consumo de combustível, é bom ficar atento, algo pode estar acontecendo. Não é porque o carro tem mais idade que consome mais. Isso só ocorre por causa de falta de manutenção adequada.

Não existe veículo velho, o que existe é veículo mal mantido. Além da questão de economia, a manutenção preventiva garante que itens de segurança (suspensão, direção, freios e pneus) estejam em boas condições de uso. Com esses componentes, não dá para bobear, pois você pode colocar em risco a sua vida e a de sua família.

É por todos esses motivos que ressaltamos a importância dos cuidados com o veículo para que o trânsito seja mais seguro nas ruas e rodovias e também a poluição diminua, pois veículo regulado emite menos poluentes na atmosfera.

Precisamos encontrar um modo de conviver de forma harmônica com o conforto que o veículo oferece. Cuidar bem dele é uma forma de melhorar a qualidade de vida nas grandes cidades.

Como forma de alertar a população neste mês de junho, em São Paulo, comemora-se o “Mês da Conscientização pela Manutenção Preventiva de Automóveis”. Portanto, faça a sua parte, cuide do seu carro e contribua para melhorar a qualidade e garantir mais segurança no trânsito.




Add Pingback