Artigos

Carro quebrado no meio pista é um perigo

08 mar, 2012

É indiscutível a sensação de liberdade quando se dirige um automóvel. Em cidades como São Paulo, que tem longas distâncias e o transporte público deixa a desejar, o automóvel se tornou uma necessidade para quem precisa percorrer trajetos longos ou mesmo tem o carro como meio de condução para trabalhar. Sua função é essencial, porém, com a explosão das vendas de veículos novos e a falta de infra-estrutura para atender ao aumento do volume da frota, andar de carro em São Paulo não tem sido uma tarefa muito fácil.

O trânsito, hoje, é uma das principais preocupações de quem vive nessa “megalópole” Sim, porque a Grande São Paulo tem perto de 20 milhões de habitantes. E, com relação ao meio ambiente há uma triste estatística: é a quinta cidade mais poluída do mundo, de acordo com dados do Centro de Pesquisa Atmosférica da Inglaterra.

A partir de maio deste ano, entra em vigor a Inspeção Veicular Ambiental, uma iniciativa da Prefeitura para reduzir os indesejáveis níveis de emissões de gases. Os veículos movidos a diesel serão os primeiros a serem inspecionados. A partir de 2009, a inspeção será estendida os veículos movidos a álcool, gás e gasolina.  

É uma forma efetiva que visa melhorar as condições do ar na cidade, e, por conseguinte, dar uma contribuição decisiva para a saúde dos seus moradores. Hoje, sabe-se que as doenças pulmonares causadas pela poluição ambiental é uma das causas que levam milhares de pessoas à morte.
Mas, essa é uma parte dos muitos problemas da cidade. A questão relacionada com o trânsito é mais complexa e exige, também, o comprometimento da população com as alternativas de melhoria. Por isso, o motorista que utiliza o veículo para se locomover precisa ter ciência que também faz parte de todo esse cenário caótico. Ao negligenciar ou esquecer de tomar alguns cuidados simples com o seu veículo, além de colocar em risco a sua segurança e a de terceiros, também está contribuindo para o aumento da poluição e do trânsito.

Quem não se deparou com um veículo quebrado em plena avenida ou rodovia atravancando o tráfego? Só na cidade de São Paulo, a CET retira, em média, 470 veículos, entre automóveis, caminhões e ônibus quebrados todo os dias. Apenas um desses é capaz de provocar um congestionamento de três quilômetros se ficar parado por 15 minutos no meio da pista. Realmente, é uma questão que deve ser levada a sério pela sociedade porque veiculo quebrado é sinal de falta de manutenção preventiva.

Outro grave problema é que veículos quebrados parados em vias públicas podem causar acidentes graves. Basta apenas o motorista do carro de trás se distrair e não ver o outro parado para o acidente acontecer. Neste caso, a culpa é do motorista que está com o veículo quebrado na pista ou do outro que vinha atrás e se distraiu? É um problema sério! Além de usar o veículo, é preciso cuidar dele muito bem para conservá-lo em boas condições, garantindo segurança e evitando quebras inesperadas.

Ao contrário do que se imagina, a manutenção preventiva é a maneira mais econômica para deixar o veículo regulado, estável e com consumo de combustível dentro limite indicado pelo fabricante.  Muitas vezes, o motorista questiona porque o seu carro fazia 10 km por litro na cidade e agora depois de quatro anos de uso faz apenas 7 km. A resposta é simples: falta de manutenção. A simples troca dos filtros de ar e do combustível, das velas no período correto podem fazer toda a diferença. Existem componentes que se desgastam com o tempo de uso e precisam ser substituídos por outros novos de qualidade e que atendam perfeitamente às recomendações do fabricante.

A diferença está no cuidado que o motorista tem com seu veículo. Por isso, é possível encontrar carros em melhores condições do que outros do mesmo modelo e até mais novos, pois o que vale mesmo é como o veículo foi conservado ao longo dos anos. Seguramente, dois veículos da mesma marca, modelo e ano podem ser encontrados com valores distintos. O que está em melhores condições, provavelmente, terá um preço mais elevado. Ainda mais se o proprietário fizer um histórico de todos os reparos efetuados, montando um dossiê que valoriza o preço de revenda.

Isso mostra que o motorista que cuida bem do seu veículo só tem vantagens desde garantir a segurança no trânsito, contribuir para a redução de poluentes ainda consegue melhor negociação quando for vendê-lo, podendo fazer um bom negócio.




Add Pingback